domingo, 21 de junho de 2015

O Navio: Mudanças, deslocamentos e nostalgia

O Navio

O navio zarpa!
Desafiando o mar
Avante!
Deixando para trás o aconchego do lar
Rumo à novas paisagens
Onde novas memórias serão construídas
Felizes experiências vividas
Outrora puras fantasias
Que num piscar de olhos já se tornam nostalgia
E a saudade de casa, mais cedo ou mais tarde, virá...

O navio zarpa!
De sua proa, avista-se novos rumos e desafios
Imensos oceanos a serem desbravados
Com a ansiedade e a coragem
De quem deseja logo aventurar-se
De sua popa, olha-se para trás
Tantas terras conquistadas e águas conhecidas
Com lágrimas nos olhos e saudade no peito
De quem precisa seguir adiante
Afastando-se de seu lar, família e amigos
Mas, que leva na memória
Um seguro abrigo
As doces lembranças

Às vezes, sem escolha...
Às vezes, à base de muito suor..
Às vezes, sem destino
Às vezes com alegria
Às vezes com ardor
O navio zarpa!

Anna Cecilia Fontoura 21/06/2015

1- proa (parte da frente) / 6-popa (traseira do navio)


Nesse poema de minha autoria é possível constar que o navio no Lenormand pode significar tanto viagens, deslocamentos, mudanças externas, saída da zona de conforto. Mas, também um outro lado, que nem sempre fica explicitado, que é a nostalgia, a saudade do que passou. Confesso que hoje passei o dia na popa do meu navio. Relembrando pessoas, situações, mas sem remorsos, apenas  me deliciando com saudosismo...

Viajar é ótimo! Mas, a primeira providência do turista ao visitar qualquer lugar é registrar (com fotos, vídeos, etc.) Essa documentação é justamente uma medida de prevenção para colaborar com o saudosismo futuro. Normalmente, faz-se por impulso. Até quem nem é nostálgico de natureza o faz. O objetivo é guardar na memória aquele belo lugar e as felizes experiências vividas ali. 

Então quando aparecer o Navio(03) em qualquer tirada no Lenormand, é necessário observar para onde está a proa (e analisar  as cartas vizinhas à ela) e a popa (também em conjunto as cartas que a rodeam). A ideia é verificar as mudanças externas que estão por vir na vida do consulente e o que essa pessoa está tendo que deixar para trás (se quer deixar ou é dolorosa essa partida).

O Navio(03) costuma ser uma mudança de fora para dentro. Algo externo ou ocasionado pelo ambiente que ele está inserido. Ou seja, às vezes é uma mudança que a vida está o pressionando a fazer ou as circunstâncias... 

É preciso levar em consideração também que o Navio (03) está sob águas (que representa as emoções). As cartas em volta podem denunciar um oceano revolto ou um calmo mar. Pensamentos provocam emoções. Mas, a Lua (que também representa emoções) tem o controle da maré... Então, às vezes, o ambiente interno do próprio consulente é que pode estar causando a ressaca marítima. Medo,  Alegria, Raiva, Tristeza, etc... Todas essas emoções podem surgir como reação do consulente ao ambiente externo. 


Para encerrar o texto, relembro que há o significado mais óbvio da carta Navio(03) que é Viagens, Mudanças temporárias, enfim um movimento de saída vagaroso,  etc...

Como andam as águas que seu navio tem navegado? 

"Voltar com a maré
Sem se distrair
Navegar é preciso senão
A rotina te cansa
Tristeza e pesar
Sem se entregar"

O Rappa - Mar de Gente






sábado, 20 de junho de 2015

Cartas 26 e 27: A comunicação no Lenormand

Depois de um longo silêncio (26 +10= quebra do silêncio), eis que hoje tive uma incontrolável vontade de postar. Engraçado porque essa necessidade de me comunicar nasceu num momento em que me encontro praticamente sem voz.  Falar ontem doía, hoje ainda requer bastante esforço, mas noto uma melhora. Sei que amanhã estará melhor até, em breve, voltar a normalidade, e haja remédio... rs

O fato é que essa passageira situação, me fez refletir  e valorizar esse ato, que para mim, é tão natural. Deveria usar esse instrumento tão útil, a minha voz (sinto saudades dela normal rs), para compartilhar só palavras belas (27) e calá-la (26) quando necessário (principalmente no ímpeto de dizer palavras duras e machucar alguém). Mas, a minha natureza humana  (de Rei de Paus!) ainda impera. Áries (equivalente ao Rei de Paus) traz o impulso consigo. Uma comunicação rápida e sincera. Fala baseado nas emoções (32) e sempre guiado por sua verdade (só que lembrar que essa verdade é um mero ponto de vista, é um grande desafio (21) para quem tem o Rei de Paus em sua essência).



Como minha professora de dança cigana, Daisy Fernandez, costuma dizer: A palavra dita não tem como voltar atrás. Pode ferir, pode magoar... Só que em momentos de impulsividade (15), eu deveria ponderar e pensar nas consequências que ela pode trazer para quem ouvi-las (principalmente levar em conta se é uma pessoa mais sensível ou que se apega à essas palavras por muito tempo, etc.). 

Faz tempo que declarei guerra a impulsividade! Bom, comparando Anna de 31 anos com a Anna  de 21. 15, 9,  6 anos, e assim por diante, noto que houve uma melhora. Mas, o amadurecimento é um processo não é? Ainda há muito o que melhorar... Derrapo aqui, acolá... Mas, levanto e continuo na estrada rumo a Razão, ao Equilíbrio e Harmonia.


Quanto ao Lenormand, aproveito esse texto para relembrar que o silêncio, o segredo, o que não é explícito (entrelinhas, não óbvio), o que deve ser estudado, embasado, pesquisado antes de falar é representado pelo LIVRO (26). Já o momento de falar, contar, explicitar, ensinar, compartilhar, comunicar sobretudo verbalmente está representado na CARTA (27). A cobra (07) normalmente é associada à fofoca, falas maliciosas, mas também pode representar a sabedoria inclusive através da fala. O médico, que está tratando minha bronquite e de tabela a minha voz, caso aparecesse em uma tirada sobre minha saúde, sairia como 28+07 (Homem+Cobra = médico). Até mesmo numa Mesa Real, eu poderia ser alertada dessa forma. Minha dificuldade em falar poderia ser expressada pelo Lenormand como 27+02 (Carta+Trevo) porque estou bem rouca. Mas, se fosse um bloqueio total na comunicação (ficasse muda) seria 27+21(Carta+Montanha). Já o tempo em que fiquei sem postar aqui poderia surgir como 27+10 (Livro+Foice = Corte na Comunicação, silêncio absoluto) ou até mesmo 26+10 (Livro+Foice =Corte no silêncio). 

Antes de finalizar essa postagem, vou aproveitar para agradecer. Agradeço ao Senhor (27+16) pela minha voz, pela minha saúde em tratamento e principalmente por saber que isso é passageiro. Compartilho com vocês uma oração que acho linda e que assumo que deveria fazê-la mais vezes. Até mais!


ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO
Obrigado Senhor pelos meus braços perfeitos...
Quando há tantos mutilados.

Pelos meus olhos perfeitos...
Quando há tantos cegos.

Pela minha voz que canta...
Quando tantas emudecem.

Pelas minhas mãos que trabalham...
Quando tantas mendigam.

É maravilhoso Senhor!
Ter um lar para voltar...
Quando há tantos que não tem onde ir.

Sorrir...quando há tantos que choram.

Amar...quando há tantos que odeiam.

Sonhar...quando há tantos que se
revolvem em pesadelos.

Viver... quando há tantos que
morrem antes de nascer.

É maravilhoso Senhor, ter tão pouco
a pedir e tanto para agradecer...

Obrigado Senhor!!

sábado, 1 de novembro de 2014

Quando o povo cigano acampou na minha vida... Depoimento de Annya Kalitsch


Hoje fui surpreendida com um novo depoimento sobre 'Quando o povo cigano acampou na minha vida...'. Dessa vez  quem compartilha com a gente sua experiência é minha primeira professora de dança cigana: Annya Kalitsch.  Confiram essa linda história: 

'Não sou cigana. Minha ascendência é ucraniana, portuguesa e espanhola; não tenho nenhum tio, avó ou longínquos parentes ciganos que possam me render propaganda de ancestralidade.

O fato é que a etnia cigana realmente acampou em minha vida antes que eu tivesse idade para entender o que era existir! Conta minha mãe que passeávamos em Araruama, no estado do RJ (eu, ela e meu irmão ainda de colo) quando em sentido contrário vinha vindo uma mulher bonita, de cabelos longos e negros com andar despretensioso e saia esvoaçante. Rapidamente minha mãe percebeu que se tratava de uma cigana que, ao passar ao nosso lado se aproximou, olhou em seus olhos e disse-lhe que não tivesse medo pois não faria nada. Neste momento, eu que normalmente já andava saltitando e sorrindo para todos não agi diferente com a cigana... Ela agachou-se a minha pequena altura, passou delicadamente sua mão em meu rosto, sorriu e disse:

 - Linda ela! Olhos de cigana!” Particularmente não lembro deste episódio, contudo, minha mãe nunca esqueceu... De qualquer forma, creio que neste dia o povo cigano acampou em minha vida!'

Annya Kalitsch


Gostou desse depoimento? Compartilhe a sua história com a gente também. Só deixar mandar seu depoimento pelo grupo ou fanpage Mente Cigana ou me avisar inbox no Facebook. Ainda há a opção mandar para o e-mail mentecigana@gmail.com 


RELEMBRE OUTROS DEPOIMENTOS 





sexta-feira, 24 de outubro de 2014

O terceiro acampamento cigano


Só esses dias fui me dar conta da mega injustiça que vinha cometendo... Até hoje não falei do  meu atual acampamento cigano. Depois de aproximadamente 365 dias sem poder dançar (oh pesadelo!) por não ter como conciliar as aulas de Dança Cigana com meu trabalho, finalmente, em julho, eu consegui retornar a alegria e a arte.

A minha atual mestra é a Daisy Fernandez (desculpa aí não ter mencionado antes, mas andei afastada do blog) e tenho umas 5 ou 6 irmãs de acampamento (cada hora aparece uma nova, aí está difícil contabilizar... rs a família só aumenta... Optchá!). As aulas acontecem no Espaço Thereza de Oliveira, no centro de Niterói.



Lá é o Calon (Espanha) que toma conta, mas também temos nossos momentos Romanet (Leste Europeu), Rumba e etc... Ciganas mudam, vão adiante, mas as lembranças ficam guardadinhas no coração. E quando começam as músicas de acampamento Rom e pego o pandeirinho, é inevitável, não lembrar da Annya Kalistch e das minhas primeiras irmãs de acampamento (né Mariana Kexfe... Rs). Assim como quando dou nó na saia, ao som das músicas espanholas, me lembro também com carinho da Lea Martins...  Mas, chega de saudosismo que é pra frente que a caravana anda... :)

Estou muito feliz no meu novo acampamento com minhas novas irmãs. A Daisy Fernandez é um furacão de alegria e energia positiva. Ela é coreografa do Grupo Ônix e dá para ver a cada segundo o amor dela pela arte transbordar. Me divirto demais nas aulas, mas tenho a sensação de que a chefe do acampamento se diverte tanto quanto eu (ou até mais, se bobear...) e nunca enjoa do que faz... É xale, é leque, é pandeiro, é só mão.. Quando a Daisy chega marca presença e a alegria contagia o salão... rs

Bom, aproveito para convidar todos vocês para participarem da Tarde Cigana Árabe, evento que acontece, em Niterói, no dia 23 de novembro. Então venha conferir nossa apresentação!

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Ambulatório Social de Cartas Ciganas

Ação! 

Rolou na última quarta (17/09), o Ambulatório Social de Cartas Ciganas. O evento promovido por Tânia Durão (oraculista e minha querida eterna professora de Lenormand!) aconteceu no Crystal Healing, no Largo do Machado, no Rio de Janeiro. 

O time de oraculistas que prestou atendimento era composto por Alexandre Federici, Bebel Ramos, Dalila Tiago, Denise Laranjeiras e Anna Cecilia (sim, Eu!). 


Tânia Durão (centro) e os oraculistas do Ambulatório Social
Confesso que estou muito feliz por ter tido a oportunidade de fazer parte desse evento tão enriquecedor tanto como ser humano quanto profissional de Cartas Ciganas. Sem contar que é sempre uma grande alegria encontrar e trocar umas ideias com a Tânia. Também tive a oportunidade de conhecer pessoalmente profissionais e alunos dela ( alguns eu até já conhecia o trabalho pela internet). E claro, atender os consulentes (tá aí uma coisa que eu amo fazer...)

Só na concentração... 
Não deu para ir no Ambulatório Social de Baralho Cigano?  Não fica triste que a previsão é que em 2015 tenha novamente. Mas, não se preocupe porque o que não falta é evento de Tânia Durão para a galera... Para ficar por dentro é só baixar no seu celular o aplicativo As Cartas Ciganas 




domingo, 31 de agosto de 2014

Morre Peret: Cigano e Rei da Rumba Catalã


A cultura cigana perdeu, na última quarta (27/08), um dos seus grandes representantes no ramo da música: Peret. O músico espanhol, que há meses lutava contra um câncer, é considerado o Rei da Rumba Catalã.

Pedro Pubill Calaf (seu nome verdadeiro) nasceu em 24 de março de 1935 (signo do Punhal na astrologia cigana) em Mataró (um assentamento cigano em Barcelona). Na década de 50, Peret ganhou fama com uma rumba diferente em que o violão espanhol também era usado nas alegres canções.

Nos anos 80, Peret largou tudo e virou pastor de uma igreja evangélica na Filadélfia, nos Estados Unidos, mas essa mudança radical de vida durou cerca de dez anos. Nos anos 90, o cigano voltou às suas origens e á música. Em 1992 lançou o grande sucesso "Gitana Hechicera" e também marcou presença nos Jogos Olímpicos de Barcelona.



Outros sucessos de Peret são: "Gitano Antón", Rumba pa ti", "El Muerto Vivo", Borriquito  como tú", "Don Toribio, entre tantos outros. "Como me gusta" - o último álbum do cantor - foi lançado em 2008, mas o artista estava preparando seu primeiro disco completo em catalão quando foi diagnosticado com câncer.

Que Peret seja emissário da alegria do mundo cigano onde quer que esteja lá no plano astral! OPTCHÁ!



1992.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

A Carta da Semana: A Casa (4)

Depois de um longo período sem postar, eis que retorno. Peço desculpa aos caros leitores, mas sabe como é a vida de quem não é sustentada por suas escritas... rs

Como o estudo é meu combustível, eu toda semana embaralho meu Petit Lenormand e retiro ao acaso uma carta. Dedico então à "sorteada" os meus estudos durante aquela semana. A carta da vez foi  A Casa (4). Então vou compartilhar o fruto de minha pesquisa com vocês e outras informações são muito bem-vindas. Sintam-se em casa para comentar...

A CASA (04) 





A Casa é nosso abrigo onde estamos fisicamente protegidos das intempéries do mundo exterior e aparentemente da maldade do mundo. Pode ser tanto o lugar aconchegante onde desejamos estar para nosso repouso merecido ou simplesmente para relaxar após tantas lutas cotidianas. Mas, dependendo também pode ser o lugar que sentimos mal estar e tanto desejamos sair (quando há problemas familiares/conjugais). 

Essa lâmina mostra o espaço físico (construído com tijolo e cimento), mas pode representar onde o consulente vive, trabalha, estuda. Inclui-se também quem convive com ele nesse recinto, mas particularmente eu entendo isso como as energias resultantes desse convívio, ou seja, a egrégora (soma das energias coletivas onde há duas pessoas ou mais) do lugar. A família, para mim, é a Árvore (05) e as relações sociais superficiais, como colegas de trabalho, estaria mais para Jardim (20)  

Também pode representar Equilíbrio, Razão EquilibradaInteriorização (nossa casa interna), Solidez, Rigidez, Estrutura. Do ponto de vista da SaúdeA Casa pode significar problemas relacionados a Coluna, Fraturas, Tombos e problemas emocionais (afinal está sob o domínio do Rei de Copas - naipe das emoções).

Em relação a personalidade, no meu entendimento, as pessoas "Casa" levam muito tempo para tomar uma atitude/decisão. Afinal, a sua casa não foi construída em um dia, não é? Partiu de um sonho seu, foi preciso reunir recursos financeiros, materiais e humanos, desenhar como iria ficar, esperar a obra terminar... mas depois disso, se bem construída, vai durar muito até pensar em reformas não é?.
Quem é rígido com o outro e consigo (se cobra nada menos do que a perfeição e deseja o mesmo do próximo), para mim, isso também pode ser expressado por essa carta. Sem contar, que entendo também como pessoas constantes, racionais, acolhedoras, que passam segurança e que normalmente se pode contar

Segundo o livro "Segredos das Cartas Ciganas", de Sibyla Rundana, A Casa diz respeito a qualquer ambiente frequentado com assiduidade pelo consulente. Pode se referir tanto ao imóvel em si quanto a quem  reside lá (pode ser ambiente doméstico, de trabalho, religioso, etc). Ainda de acordo com essa publicação, quando essa carta aparece acompanhada de outras negativas pode revelar perdas materiais, inseguranças sexuais e emocionais. Até cadeia pode ser  representada pela A Casa [eu acho que nesse caso viria, pelo menos, com uma Âncora(35) ao lado].

O corpo é a casa temporária do espírito. Tanto pode ser uma confortável estada quanto um cárcere...  Pode ser um palacete que vai se deteriorando com o tempo ou um casebre que vai sendo expandido (após anos de dinheiro suado e poupado pelos donos), pode ser uma casa rústica e acolhedora ou uma casa moderna e bem bolada. Enfim, essa é a reflexão que convido vocês a fazer (e já estou fazendo a partir desse texto) é:  Como está sua relação Espírito e Casa interior?

PALAVRAS-CHAVE: EquilíbrioInteriorização (nossa casa interna), Solidez, Rigidez, Estrutura, O espaço físico em que o consulente está constantemente (Domicílio Residencial, Comercial, Espiritual...)